PRIMEIRO E ÚLTIMO ENCONTRO COM O FOTÓGRAFO JORGE SAGRILO

Fernando Manhães

O mercado publicitário capixaba perdeu no mês passado um fotógrafo e um ser humano de mão cheia, Jorge Luiz Sagrilo. Faço aqui meu registro e uma singela homenagem ao profissional que com seu olhar mudou a ótica da fotografia publicitária no Espírito Santo. Conheci Sagrilo em 1982, quando trabalhava como produtor gráfico na Quarupe Propaganda, de Edgar e Erildo dos Anjos. Lembro-me de ter agendado uma sessão de fotos com ele para um lançamento imobiliário. Numa época sem celular, comunicação via telefonia fixa, precisei modificar o horário das fotos, no mesmo dia faríamos também a gravação do VT, lá nos estúdios da Rede Gazeta, ainda na General Osório, pois a modelo viria do Rio de Janeiro e seu retorno havia sido antecipado. Como não encontrei Sagrilo, deixei o recado com a sua fiel escudeira Laurinda. Ocorre que Sagrilo não me respondeu, marquei com outro fotógrafo que, sinceramente, não lembro o nome. No horário combinado apareceram os dois, o novato e Sagrilo, que virou para mim e disse “Fernando, tranquilo, deixa o rapaz fazer”. Por que estou contando essa história, porque além de mostrar sua generosidade com quem estava começando, me ajudou a resolver um problema. O fotógrafo inexperiente, que fez as fotos, aproveitou a luz da gravação do VT e o resultado, que só veríamos no dia seguinte, foi que as fotos ficaram horríveis e mesmo assim, Sagrilo me ajudou a melhorar o material. 

Desde então, se passaram 39 anos. Sagrilo dedicou grande parte da sua carreira profissional à fotografia publicitária. Não só com a fotografia em si, mas também na melhoria do resultado final, na qualidade dos trabalhos de pré-produção e na produção propriamente dita, como casting, cenografia, maquiagem e figurinos. Esse reconhecimento tanto é verdade, que foi jurado no primeiro Prêmio Colibri, em 1986 e foi eleito fornecedor do ano, no mesmo Prêmio Colibri, por diversas vezes.

Com a Prisma Inteligência de Marketing foi uma parceria de longa data, mais precisamente por 34 anos e é claro, temos muito orgulho disso. Foram centenas de trabalhos em que destaco dois: um que para nós da Prisma é de grande importância, o anúncio sequencial em A Gazeta para a Real Café, criado por Hilton Monteiro e até hoje, é a primeira e única conquista de um Leão de Ouro no Festival de Cannes por uma agência capixaba, isso em 2003 e o outro, que o próprio Sagrilo gostava de destacar, a campanha em preto e branco “A verdade tem muitas faces”, também criada por Hilton, para o jornal A Gazeta, em julho de 2001.  

Sagrilo também foi um dos colaboradores do livro Memória da Propaganda Capixaba lançado em 2014, com depoimentos de diversos profissionais do mercado publicitário capixaba. Nos últimos anos, os trabalhos foram diminuindo e novos profissionais surgiram, principalmente após a digitalização da imagem fotográfica e consequentemente a nossa convivência foi se espaçando. Nosso último encontro foi em 2018, totalmente casual e almoçamos juntos. Falamos de tudo um pouco: da comida, da vida e lógico, da fotografia.

https://www.agazeta.com.br/colunas/fernando-manhaes/primeiro-e-ultimo-encontro-com-o-fotografo-jorge-sagrilo-0721

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *